Noite Saudável das Cidades do Centro de Portugal (NSCCP) - página oficial

24.09.2018 | Apresentação do projeto NSCCP em Águeda

0
24-09-2018-apresentacao-do-projeto-nsccp-em-agueda

 

Sensibilizar para «prevenir e agir antecipadamente»

 

«O que nos faz aderir a este projeto é a sua capacidade de sensibilização. É uma área que requer um grande trabalho de motivação de toda a comunidade para estas temáticas», declarou a vereadora da Câmara Municipal (CM) de Águeda, Elsa Corga, na antevéspera da sessão de apresentação local do projeto «Noite Saudável das Cidades do Centro de Portugal» (NSCCP), realizada a 26 de setembro de 2018 e dirigida pelo vice-presidente da edilidade, Edson Santos.

 

«Nem sempre paramos para pensar nestas temáticas, mas têm um impacto muito grande na segurança ou na falta dela; e na qualidade de vida das pessoas que residem no concelho, bem como das que nos visitam», verifica a vereadora Elsa Margarida de Melo Corga, que assume os pelouros da Educação, da Solidariedade e Família (Ação Social e Habitação Social), da Cultura (Assuntos Culturais, Preservação do Património, Estação Arqueológica, Museus, Biblioteca Municipal e Centro de Artes de Águeda), da Juventude, da Relação com o Ensino Superior, da Gestão e Acompanhamento ao Associativismo Social, Cultural e Recreativo, dos Recursos Humanos, da Modernização Administrativa e Estruturas de Proximidade e também da Cidadania e Igualdade, entre outras responsabilidades na edilidade aguedense.

A cidade de Águeda tem tido um considerável «aumento de turistas», muitos deles fascinados com os guarda-chuvas coloridos nas ruas e o festival AgitÁgueda (o qual «dura quase um mês» e inclui diversas iniciativas culturais, artísticas e desportivas). É, reconhecidamente, um dos eventos mais emblemáticos e dinâmicos na região. «Portanto, estamos a falar de muitas pessoas nas ruas e da animação noturna, envolvendo vários espaços recreativos», observa a autarca Elsa Corga, admitindo que isso «acaba por ter um impacto» significativo.

 

Políticas de juventude adequadas

Daí que seja «necessário prevenir e agir antecipadamente», com a aplicação de políticas de juventude adequadas. «Setores como a educação, o desporto, a cultura, o ambiente e a ação social, mas também o desenvolvimento económico-social, a segurança ou a saúde são áreas [em que] a incidência sobre os jovens e as suas perspetivas de futuro são notórias», regista a página eletrónica da CM de Águeda. «A expectativa é a de que, realmente, através deste projeto [NSCCP], consigamos, em rede com vários parceiros, a tal sensibilização de que falávamos», especificou esta professora de Matemática e Ciências da Natureza que, desde 2005, se dedica ao trabalho autárquico.

No contexto do NSCCP, Elsa Corga prevê um conjunto de ações locais que acompanharão os vários subprojectos, a fim de «ir ao encontro desse grande objetivo que é sensibilizar a comunidade». «É uma comunidade com muitos jovens e que, felizmente, tem uma vida social ativa; igualmente no que diz respeito ao horário noturno, mais propício a situações menos normais», caracterizou a mesma responsável, salientando a importância da sessão de apresentação local do projeto NSCCP.

«A partir de agora, temos a ideia de com as [várias] entidades [convidadas] elaborarmos um plano de intervenção», informa a autarca, pretendendo que esse trabalho conjunto seja alargado.

 

«Estamos no início de um processo»

«O que importa neste projeto é que os intervenientes locais possam, também eles, contribuir. Com esta sessão, estamos no início de um processo», frisou Elsa Corga, valorizando os diferentes papéis dos atores sociais e comunitários, a exemplo do Conselho Municipal da Juventude, das forças de segurança, dos representantes da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ – enquanto instituição oficial não judiciária com autonomia funcional), dos agrupamentos escolares, da Escola Superior de Tecnologia e Gestão e das associações culturais e desportivas. «Algumas delas dinamizam atividades neste âmbito e outras, mesmo não dinamizando, têm um contacto direto com os jovens e, em geral, também podem ser veículos de sensibilização, para passarem a mensagem», adianta Elsa Corga, mostrando-se «muito adepta da sensibilização e da educação, a par da prevenção».

«Uma área prioritária da nossa intervenção é, além de criarmos os mecanismos para atuarmos, a da prevenção. Trabalhamos muito com as escolas nas diferentes vertentes», diz esta vereadora da CM de Águeda, mostrando-se atenta às matérias relacionadas com as políticas públicas que têm impacto na juventude do município.

A cidade pretende consolidar «de forma sustentável o seu papel como protagonista na região Centro», tendo em conta «indicadores que contribuem para a qualidade de vida de quem aqui vive ou tenciona viver». Todavia, enfrenta problemas transversais, como as várias formas de violência e o consumo excessivo de álcool e de substâncias ilegais. «As consequências que isso pode ter na saúde e bem-estar físico e psicológico» preocupam o executivo municipal, que também quer reduzir a sinistralidade rodoviária, muitas vezes, «potenciada por esses consumos».

«Acredito muito que o trabalho com as crianças e com os jovens tem um grande impacto, porque estamos a sensibilizá-los e a formá-los. Quando forem adultos, de uma forma ou de outra, irão confrontar-se com essas situações, mas já terão ferramentas para isso», expressa ainda a autarca de Águeda.

Adicionar comentário